PLENÁRIA I

EVOLUÇÃO E TECNOLOGIA: UM NOVO PARADIGMA

Nos últimos anos, a Medicina conheceu novos caminhos, aplicações inovadoras nas áreas da inteligência artificial, da robótica e digital. Um mundo novo está a surgir. Devemos estar preparados para esse impacto e conhecer o que de mais inovador se tem feito. Os desafios são inúmeros, mas há um pressuposto imutável: a relação médico-doente. Vem descobrir o Futuro!

O Papel da Inteligência Artificial

Prof. Dr. Hugo Ferreira, Hugo Alexandre Ferreira, formado em Medicina e Engenharia Física Tecnológica pela Universidade de Lisboa e doutorado em Física na mesma universidade. Atualmente, é docente e coordenador do Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e investigador no Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica.

Construção da Confiança na Medicina do Futuro – Máquina vs Humano

Dra. Sofia Couto da Rocha, Além do mestrado integrado em Medicina, tem formação em design que realizou em Londres, cursos de pós-graduação clínicos e de ciências sociais (minor em Ciência Política) e um MBA; Diretora Executiva das Clínicas Lusíadas do Cluster de Lisboa e Chief Transformation Officer do Grupo Lusíadas Saúde; Membro do Conselho Nacional da Ordem dos Médicos para as Tecnologias de Informação na Saúde; Deputada e Presidente da Comissão de Tecnologias de Informação em Saúde no Health Parliament Portugal entre 2016 e 2019; Vasta experiência na área da tecnologia e aplicações médicas, tendo sido fundadora da SkinSoul e agora da App “Todos por um” em parceria com a Outsystems..

Os desafios da Cirurgia Robótica

Dr. Kris Maes, Diretor do serviço de Urologia; Coordenador do Centro de Uro-Oncologia; Coordenador do Centro de Cirurgia Robótica e Minimamente Invasiva

PLENÁRIA II

SUSTENTABILIDADE E SAÚDE: UMA RELAÇÃO DE INTERDEPENDÊNCIA





Num mundo em que se começa a perceber que os recursos ambientais e económicos não são infinitos, cada vez mais é necessário reutilizar materiais, apostar na inovação e adotar novos modelos de gestão que permitam garantir a sustentabilidade da saúde em Portugal. O que podemos fazer para otimizar os recursos do Sistema de Saúde? Como podemos  reduzir a pegada ecológica dos hospitais? Qual o panorama português relativamente aos objetivos do desenvolvimento sustentável definidos pela ONU? Vem descobrir tudo sobre estas temáticas numa sessão plenária inovadora e cativante!

A importância da Saúde no Desenvolvimento Sustentável

Dra. Isabel Craveiro, Professora assistente no Departamento para a Saúde Pública Internacional e Bioestatística na IHMT-NOVA. É licenciada e Mestre em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra; Doutorada em Saúde Internacional pela Universidade NOVA. Atualmente, é coordenadora do mestrado de Saúde Pública e Desenvolvimento, bem como de um grupo de investigação no centro de Saúde Pública e Medicina Tropical.

A perspetiva económica

Dr. João Marques Gomes, Professor de gestão da saúde na Nova School of Business & Economics e na Nova Medical School. É Chair da NOVAsaúde | Value Improvement in Health and Care e Vice-Presidente do IBRAVS, Instituto Brasileiro de Valor em Saúde. Foi membro da equipa de implementação do ICHOM, International Consortium for Health Outcomes Measurement. Como consultor de gestão, trabalhou com hospitais públicos e privados na Europa e na América Latina, Comissão Europeia, Ministério da Saúde português, Ordem dos Farmacêuticos, e empresas farmacêuticas que estão entre as 10 maiores empresas farmacêuticas do mundo em vendas.

A perspetiva ambiental

Dr. Luís Miguel Ferreira, Presidente do Conselho Diretivo do Hospital Dr. Francisco Zagalo – Ovar. Doutorado em Tecnologias e Sistemas de Informação pela Universidade do Minho, onde é professor convidado no Departamento de Sistemas de Informação.

PLENÁRIA III

DESAFIA-TE: O IMPACTO DE UM ESTUDANTE

A importância da formação dos estudantes de Medicina é inegável. Somos responsáveis pelo futuro da saúde do nosso país. Devemos, então, ir além da formação académica e de nos envolvermos em projetos que nos permitam crescer. Dentro de um laboratório, no terreno ou num projeto de associativismo, as possibilidades são infinitas. E é aqui que chegamos ao cerne da questão – como podemos, enquanto estudantes, melhorar o mundo da Medicina?

Voluntariado em Tempos de Crise

Dr. Francisco Dias, recém Mestre em Medicina (FMUP); Voluntário do Hospital de Campanha do Porto, na linha da frente do combate à Covid-19

Voluntariado

Mariana Santos, estudante de Medicina da UBI: Membro fundador e embaixadora da associação Europeans for Humanity em Portugal. Realizou várias atividades de voluntariado, nomeadamente missão de voluntariado no campo de Moria, na Grécia

Associativismo

Mar Mateus da Costa, Presidente da ANEM, Associação Nacional de Estudantes de Medicina

Projeto de Investigação

Dr. Mickael Bartikian, recém Mestre em Medicina (FMUL): Lidera um Projeto de Impressão 3D no Instituto de Anatomia da Faculdade de Medicina de Lisboa. Após a produção de modelos anatómicos através de tomografias computadorizadas para a modernização do ensino de Anatomia, o foco do projeto encontra-se, atualmente, na impressão 3D de estruturas vasculares que possam ser usadas para a simulação de casos patológicos e para o treino cirúrgico e de procedimentos endovasculares

PLENÁRIA IV

O QUE PODEMOS APRENDER COM A COVID-19?


Perante a necessidade de alterar subitamente o modo de funcionamento hospitalar, do ensino médico e da investigação biomédica, que adaptações foram necessárias ? Testemunhos de quem viveu em primeira mão este período e que teve de alterar as suas práticas diárias e profissionais para se adaptar a uma nova realidade. Segundo a teoria económica de Friedman, só uma crise produz mudança real, até que o considerado politicamente impossível se torne o politicamente inevitável. Será que o mesmo aconteceu e continuará a acontecer na Medicina e no ensino médico ? Que mudanças vieram para ficar ? Simultaneamente, iremos olhar para o futuro das doenças – Quais serão as novas doenças emergentes do futuro ? Serão expectáveis novas pandemias futuras?

Como adaptar um hospital a uma pandemia ?

Dr. Fábio Cota Medeiros, Assistente Hospitalar de Infecciologia do CHLN (Hospital de Santa Maria) e Coordenador da Unidade de Internamento de Contingência de Infecção Viral Emergente do CHLN (HSM)

Investigação em prol do Diagnóstico e da Cura

Prof. Doutora Maria Mota, Investigadora na área de Microbiologia e Parasitologia e Líder de Grupo no Maria Mota Lab, no Instituto de Medicina Molecular da FMUL. Diretora Executiva do iMM. Desde o início da pandemia que se dedicou ao estudo do COVID-19 e desenvolveu o primeiro teste rápido e de baixo custo em Portugal

E agora: Estamos preparados para futuras pandemias ?

Prof. Doutor Paulo Paixão, Microbiologista no Laboratório Germano de Sousa. Professor e Investigador da área de Microbiologia na Nova Medical School – UNL